Carreta da mamografia realiza 700 exames em Apiaí

Publicado em 9 de outubro de 2019
CompartilheShare on FacebookTweet about this on Twitter

Setecentos exames foram realizados nas últimas três semanas pela Careta da Mamografia “Mulheres de Peito”, em Apiaí. Desses, 620 foram destinados à pacientes do município e 80 para mulheres dos municípios vizinhos. Essa iniciativa partiu da Secretaria de Saúde que identificou dificuldades na realização desses exames logo no inicio do mandato, em 2017. Nessa época, a fila de espera já era considerada grande e havia pouca disponibilidade de vagas para a realização.

Após essa análise, segundo o Secretário de Saúde, Ricardo Leão, foi feito contato com a Fundação Instituto de Pesquisa em Diagnóstico por Imagem (FIDI), responsável pelo gerenciamento das carretas de mamografias no Estado. Algumas solicitações também foram feitas ao Departamento Regional de Saúde de Sorocaba (DRS), além do auxílio dos vereadores João Paulo Cordeiro e Ricardo Dias, que solicitaram ajuda aos deputados.

Para a realização dos exames, a secretaria providenciou as estruturas necessárias para que o município recebesse a carreta e monitorou todo o andamento do processo. Apesar da quantidade de exames disponíveis e do agendamento feito nas Unidades Básicas de Saúde, 190 pacientes não compareceram. No entanto esses exames não foram perdidos, isso porque a equipe de regulação manteve contato com os pacientes a fim de encaixá-los em caso de desistência ou falta.

Apesar dos setecentos exames realizados, cerca de 340 pessoas ainda estão na fila de espera, somando os 190 pacientes que faltaram no dia agendado. Para reduzir esse número, a secretaria, por meio da indicação do vereador Ricardo Dias, está finalizando as tratativas para que essas pacientes façam o exame em Capão Bonito, onde deverá ser atendido cinquenta pacientes do município, ao mês.

Os exames realizados até o dia 24 de setembro podem ser retirados na Secretaria de Saúde. Até o momento foram identificados oito exames alterados que precisam de complementação por ultrassom e dois no qual os pacientes já foram encaminhados para tratamento com o oncologista.

Malu Martins – Assessoria de Imprensa